• cartaz

ARTE BRUTA: UMA HISTÓRIA DE MITOLOGIAS INDIVIDUAIS. OBRAS DA COLEÇÃO TREGER/SAINT SILVESTRE

Curadoria: Christian Berst

Artistas: A.C.M., Adolf Wölfli, Agatha Wojciechowsky, Albert Moser, Albino Braz, Alexandre Lobanov, Alexandre Medvedev, Alexandro Garcia, André Robillard, Aníbal Brizuela, Anna Zemànkova, August Walla, Augustin Lesage, Beverly Baker, C.V.M. (Carlos Victor Martins), Carlo (Carlo Zinelli), Carlo Franco Stella, Charles Dellschau, Daldo Marte, Didier Amblard, Dwight Mackintosh, Edmund Monsiel, Egidio Cuniberti, Emile Ratier, Eric Benetto, Eugene von Brunchenhein, Evaristo Rodrigues, Ezekiel Messou, F. R. V. Anónimo espanhol (Collection Lafora), Franco Bellucci, Friedrich Schröder Sonnenstern, Georges Widener, Giovanni Bosco, Giovanni Galli, Gorgali, Guo Fengyi, Harald Stoffers, Hassan, Henry Darger, Horst Ademeit, Gerald DePrie, James Deeds, Janko Domsic, Jean Perdrizet, Joële (Nina Karasek), Johann Stek, John Devlin, John Urho Kemp, José Johann Seinen, José Manuel Egea, Josef Hofer, Josef Karl Radler, Karl Hans Janke, Karl Vondal, Leopold Strobl, Lubos Plný, Mamadou Cissé, Margarethe Held, Marilena Pelosi, Martin Ramirez, Melvin Way, Misleidys Francisca Castillo Pedroso, Oscar Morales, Oskar Voll, Pape Gaitan, Paul Goesch, Pépé Vignes, Peter Kapeller, Pradeep Kumar, Raimundo Camilo, Raphaël Lonné, Royal Robertson, Scottie Wilson, Sebastian Ferreira, Vasilij Romanenkov, Zdenek Kosek.

A arte bruta, ao remeter-nos para o gesto criativo original, é um ato muito mais individual do que aquele para o qual a história da arte nos preparou. Assim, contrariamente ao que pudemos pensar durante muito tempo, esta não se distingue das outras produções artísticas pela forma, mas difere sobretudo pelo conteúdo. A sua essência é outra.

Ao passo que as obras de arte se enquadram deliberadamente num grande diálogo entre artistas e sociedade, dentro de uma perspetiva histórica e cultural, a natureza da arte bruta consiste principalmente numa busca dentro do solilóquio. É o reino do íntimo. Encantatórias, xamanísticas,  “carregadas”, mágicas e autorreferenciais, eis estas produções de uma outra ordem. O espetacular, contrariamente à tendência de uma certa arte contemporânea, é raro nesta arte, e geralmente não resulta senão da aplicação intensa de uma criatividade desenfreada. (…) (Christian Berst)

Patente no Núcleo de Arte da Oliva.

pt
en
Todos os direitos reservados - © S. João da Madeira - Turismo Industrial